28.10.16

Lately, Autumn days

















Por cá continuo em busca do Equilíbrio. Conciliar ser mãe a tempo (quase) inteiro e ser outra coisa qualquer continua a ser um horizonte longínquo. Por vezes aceito-o naturalmente, noutras sinto-me numa constante medição de forças que me deixa sem energia. É talvez a tarefa mais difícil que alguma vez enfrentei, mas sei dentro de mim que será também a mais importante e recompensadora. Construir a vida que sonhei dá trabalho, claro, mas vale a pena, disso tenho a certeza. Só preciso de mais tempo, de não desistir e de virar as costas aos medos que me perseguem e me tentam desviar da rota... 

Vejo o Outono por todo o lado. Se por um lado sinto que chegou cedo demais, por outro faço de tudo para o celebrar, estando atenta a todos os seus sinais. Um Outono quente com sabor a Verão, e porque não ter o melhor dos dois? 

...

Around here I keep searching for Balance. Conciliating (almost) fulltime motherhood with being something else still seems like a distant horizon. Sometimes I accept it naturally, others I feel like constant measuring forces, which takes my energy away. It's probably the hardest job I've ever faced, but I know inside that it will also be the most important and rewarding one. Building the life I dreamed of is hard work, of course, but it is worth, I'm sure. All I need is a little more time, not to give up and turn my back on fears that chase me and try to deviate me from my path...

I see Autumn everywhere. If, on one hand, I feel it came too soon, on the other hand I do everything I can to celebrate it, paying attention to its signs. A warm Fall with a taste of Summer, but why not have the best of both worlds?






4 comments:

Sandra de Sá said...

Percebo-te perfeitamente. Abracei o mundo da maternidade à 5 anos atrás. Eles crescem rapidamente e às vezes sinto que nem sempre os conseguimos acompanhar. Andamos sempre como que na corda bamba e então quando se começa a trabalhar fora de casa ainda pior. Mas tenho dias que nem quero saber se tenho roupa para passar, louça para lavar... e deixo-me apenas ali eu e ele a brincarmos os dois. Para que ambos possamos eternizar esses momentos.

Adriana Oliveira said...

Obrigada Sandra. Sei que esta dualidade não vai passar, apenas nos vamos habituando a geri-la melhor. E no final, o que importa mesmo é termos aproveitado o melhor que pudemos o crescimento deles, com a nossa presença plena. É o que tenho feito e quero continuar a fazer :)

Inês G. said...

Começo agora a ter (um bocadinho de) noção do que transmites neste texto. Votos de muita perserverança e amor nesta tua jornada!

Adriana Oliveira said...

Obrigada Inês! Desejo o mesmo para ti! Uma boa caminhada na grande aventura da maternidade :)